Capacitação Agentes de Endemias

« Voltar Postado em 31 de Janeiro de 2019
Capacitação Agentes de Endemias

A Secretaria Municipal de Saúde de Jaramataia, com o apoio da SESAU, realizou durante semana, de 28 a 31 de janeiro, a capacitação de agentes de endemias para a realização de inquérito canino com o uso de testes rápidos para o diagnóstico de leishmaniose visceral (calazar), uma doença grave, que pode levar pessoas e animais à morte.
Na ocasião os agentes do município também foram capacitadas para a instalação de armadilhas para captura de flebotómos, popularmente conhecidos como “mosquitos-palha”, que são os transmissores da doença, bem como houve também a capacitação para a atividade de borrifação de ambientes onde são encontrados os mosquitos.
O município de Jaramataia dá um grande passo em relação aos serviços ofertados à população, na busca constante da melhoria da qualidade de vida da população. “Obrigada a todos os agentes de endemias do município que desenvolveram o trabalho garantindo dessa forma o cuidado com a saúde da nossa população Jaramataense”, Agradeco também a toda a equipe de instrutores e demais membros  da área técnica de vetores, zoonoses e fatores ambientais, e principalmente à Superintendência de Vigilância em Saúde –SUVISA e da Gerência de Vigilância e Controle de Doenças Transmissíveis da SESAU por todo apoio à realização desta capacitação. “Agradecemos a equipe da Secretaria de Estado da Saúde em especial a equipe de endemias que sempre esteve de prontidão a ajudar o município. A todos, o nosso muito obrigada”.
SOBRE A DOENÇA:
A leishmaniose visceral, também conhecida como calazar, é causada pelo protozoário parasita Leishmania que é transmitido para pessoas e animais, pela picada de mosquitos-palha infectados. O parasita ataca o sistema imunológico e, meses após a infecção inicial, a doença pode evoluir para uma forma visceral mais grave, que é quase sempre fatal se não for tratada.
As manifestações da doença podem surgir de dois a oito meses após a infecção e se caracterizam pela ocorrência de febre irregular, perda de peso, fraqueza, aumento do baço e do fígado, nódulos linfáticos inchados (ínguas) e anemia. Em alguns casos mais graves, o período de incubação é de 10 a 14 dias.
Nos cães, os principais sintomas são o emagrecimento, perda de pelos, fraqueza, feridas – principalmente no focinho, orelhas e ao redor dos olhos, crescimento exagerado das unhas, anemia, dentre outros. 

Gestão Jefferson Barreto
JUNTOS POR UM NOVO TEMPO.

Galeria de Fotos